É cada vez mais comum que pais vegetarianos e veganos queiram adotar os mesmos costumes alimentares para seus filhos. Mas sempre surge a dúvida: é saudável restringir alguns alimentos, como carne, desde cedo? De acordo com o novo Guia Alimentar da Fundação de Nutrição Britânica (BNF), publicado na última semana, crianças podem ser veganas e vegetarianas desde que a família tome alguns cuidados, como o de garantir que elas consumam três porções de proteína ao longo do dia. 

O Guia Alimentar também ressalta que os pais precisam estar cientes de como equilibrar a alimentação e usar suplementos, se necessário, para garantir que as crianças consumam todos os nutrientes de que precisam para crescer saudáveis, já que pode ser difícil para os pequenos obterem vitaminas A e B12 em quantidade suficiente, além de riboflavina, ferro, zinco, cálcio e iodo.

O guia britânico destaca a importância de incluir três porções diárias de proteína no cardápio das crianças. Isso porque o macronutriente é essencial para o crescimento, além de participar da formação de ossos e músculos e influenciar no desenvolvimento das crianças. 

As principais fontes de proteína são as carnes, mas crianças veganas e vegetarianas podem obter proteínas também das leguminosas, como feijão, lentilha, soja, quinoa e grão de bico, que são boas fontes; e das oleaginosas, como nozes, castanhas e amêndoas. Vegetarianos também podem obter a proteína através dos laticínios e do ovo, que podem ser incluídos no cardápio no café da manhã, por exemplo, com um ovo mexido e um iogurte. 

Apesar de ser um assunto que está cada vez mais esclarecido entre os especialistas, ainda é um tema controverso. Por isso, o ideal é que, ao tomar uma decisão como essa, os pais levem a criança ao nutricionista para que ela possa ter acompanhamento profissional e uma alimentação saudável.

 

Fale Online!