Um povo é reflexo da sua cultura e da sua ancestralidade. Todos os costumes e histórias que são passados de geração em geração. Manter esses costumes vivos e perpetuá-los é muito importante para que a cultura esteja sempre viva. Por isso, ensinar e celebrar o folclore nas escolas e em casa, com as crianças, é tão importante.  No dia 22 de agosto comemoramos o Dia do Folclore. Que tal aproveitar essa data para ensinar os pequenos um pouquinho sobre as tradições ancestrais brasileiras?

Afinal, o folclore está no inconsciente coletivo do nosso país e é plural. São músicas, danças, festas, formas de linguagem, rimas, provérbios, piadas, literatura de cordel, trava-língua, costumes, brincadeiras, lendas, mitos, contos, crenças, superstições, arte, artesanato e tantas outras formas de expressão que fazem parte da nossa cultura.

O folclore do Brasil é considerado um dos mais ricos do mundo pela sua mistura de tradição e valores de diferentes origens. Fazem parte do nosso folclore costumes indígenas, europeus e africanos que foram passando de geração em geração. Hoje todos nós conhecemos as histórias que nossos tataravós também conheceram e que certamente nossos filhos também conhecerão. Conheça um pouco sobre os ícones do folclore brasileiro:

Ícones do folclore brasileiro:

Saci Pererê 

O Saci é o personagem mais famoso do folclore brasileiro. Ele é um garoto que tem uma perna só, usa um gorro vermelho, vive fumando seu cachimbo e aparece e desaparece quando quer. Travesso e muito brincalhão, se diverte aprontando com pessoas e animais. Em alguns locais é retratado como uma figura ruim e em outros apenas como um moleque brincalhão.

Curupira 

Ele é um pequeno índio defensor das matas, que surge e aparece de repente para confundir e assustar os caçadores e agressores da mata. Suas principais características são seus cabelos vermelhos e seus pés virados para trás.

Mula Sem Cabeça

Existem muitas versões para a lenda da Mula Sem Cabeça. A mais conhecida é a que qualquer mulher que namorasse um padre se transformaria em mula sem cabeça, uma espécie de castigo para quem cometesse esse pecado. O encanto só pode ser quebrado se alguém tirar o freio de ferro que a mula usa. Assim aparecerá uma mulher arrependida pelo o que fez.

Boto-cor-de-rosa 

Faz parte de uma lenda da região Amazônica que conta a história de um boto-cor-de-rosa que sai dos rios amazônicos nas noites de festa junina e se transforma em um lindo, alto e forte jovem vestido de roupa social branca, sempre usando chapéu para cobrir seu rosto e disfarçar seu grande nariz. Com seu charme, encanta mulheres jovens, e as leva para a em boto e volta para o rio.

Carnaval

Outro ícone muito importante do folclore brasileiro e que resiste fortemente até hoje é o carnaval, uma das principais festas do país, que é celebrada de diferentes maneiras em cada região. A festa envolve desfiles de escolas de samba e multidões na rua comemorando. 

Festas Juninas

Festa que celebra a colheita e que também possui grande diversidade em cada região do país. Suas músicas, danças e comidas típicas são parte de uma rica cultura brasileira.

 

Fale Online!